APDES na Primeira Pessoa: Joana Gomes

O Projeto Inclus@ atua junto da população reclusa do Estabelecimento Prisional da Guarda, nas áreas de prevenção e reinserção.

O Projeto Work in Progress visa promover percursos sociais e profissionais de sucesso em jovens em autonomia de vida.

Sou a Joana Gomes, vivo em Paços de Ferreira e sou licenciada e mestre em criminologia pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto. Considero-me uma pessoa responsável, organizada, diligente e empenhada. Antes de entrar na APDES, estagiei no Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira e exerci voluntariado no GAV de Paços de Ferreira da APAV. O trabalho nestes dois contextos com públicos alvo diferentes, por um lado, reclusos, por outro, vítimas de crime, permitiu-me evoluir profissional e pessoalmente, alargando horizontes e perspetivas. Atualmente trabalho no Projeto Inclus@ e no GIS (Gabinete de Intervenção em Saúde), nomeadamente no projeto Work In Progress.
Não posso dizer que existe uma rotina diária na APDES: os meus dias variam consoante as exigências do trabalho. No âmbito do GIS, a segunda-feira é dedicada ao planeamento semanal das atividades e tarefas, existindo uma reunião semanal de equipa, habitualmente às quintas-feiras com a minha colega Leonor. Mensalmente, reunimos com a Rede Proteger+ (rede de profissionais de 6 casas de acolhimento de Vila Nova de Gaia) para debater vários temas do interesse de todos e auxiliar no desenvolvimento de boas práticas no acolhimento. Neste momento, o Work In Progress é o único projeto financiado do GIS e também aquele que coordeno tecnicamente, exigindo diariamente uma monitorização e avaliação das atividades a decorrer, o planeamento de próximos passos/atividades e a articulação com parceiros do projeto e com a Teresa Morais. Um dia no WIP pode passar pelo planeamento da formação com os Young Experts e a realização de sessões com estes, bem como a preparação de materiais para a formação. Atualmente, estamos concentradas na preparação da formação de gestão de vida e carreira, com realização de contactos para divulgação e recrutamento de jovens, na realização das sessões de coaching e no desenvolvimento da APP. O trabalho no GIS é sempre realizado em equipa, com a Leonor e com a consultoria da Joana e Francisca, que embora estejam em licença de maternidade, continuam sempre disponíveis para nos ajudar. Acreditamos que só em equipa conseguimos encontrar as melhores soluções e responder adequadamente aos desafios que nos surgem. 
Para além do GIS, apoio ainda a Sandra, com auxílio da Diana, na implementação do projeto Inclus@, monitorizando as atividades e indicadores mensais, bem como na escrita de relatórios de reporte. Sobra ainda tempo para pesquisar financiamentos nacionais e internacionais para os vários projetos da APDES e realizar candidaturas a estas linhas de financiamento. 
Ambos atuam em contextos de vida singulares: reclusão e acolhimento institucional/pós-acolhimento. O projeto Inclus@ é de extrema importância, por responder aos desafios da reinserção social dos reclusos e das questões da saúde, nomeadamente do consumo de substâncias psicoativas, através de uma metodologia específica de Educação de Pares para a Promoção da Saúde ajustada ao contexto prisional. Atuando num regime de proximidade, o projeto permite chegar a um maior número de reclusos, que de outra forma, seriam de difícil acesso. Ao desenvolver este projeto em contexto prisional, a APDES desenvolve uma resposta integrada e inovadora aos reclusos, contribuindo para a sua reinserção social, pilar basilar de uma sociedade.
Já o projeto Work In Progress atua numa população mais jovem de extrema relevância social: jovens em autonomia, ex-residentes de acolhimento e jovens NEET (que não se encontram em formação, educação ou emprego). A maioria dos jovens não se encontram preparados para o processo de autonomia de vida, deparando-se com uma falta de apoio institucional após a saída do acolhimento ao nível do acesso a emprego, formação e habitação. É neste panorama que o projeto Work In Progress se afigura preemente, por um lado capacitando os jovens em autonomia de vida e as instituições que com eles intervêm para a adoção de processos participativos e, por outro, intervindo junto de jovens em autonomia de vida e jovens NEET para o fomento da gestão de vida e carreira, promovendo a sua integração laboral. No âmbito deste projeto, destaco a capacitação dos Young Experts, um grupo de jovens com experiência em acolhimento, com preocupação nas questões dos direitos das crianças e jovens durante e após o acolhimento. É essencial dar voz aos jovens que têm a experiência e coloco este ponto como um dos mais positivos deste projeto, tendo a certeza que o nome Young Experts ainda vai dar muito que falar! 

No meu ano e meio na APDES destaco a aprendizagem constante com pessoas muito experientes, a possibilidade de evolução e progressão que nos é dada e o ambiente acolhedor de trabalho. Tem sido, sem dúvida, uma oportunidade única de aprendizagem em diferentes contextos com pessoas experientes e resilientes.